top of page

Francesco Tonucci

Francesco Tonucci é pedra de fundação da Educação infantil.


Francesco Tonucci é pedra de fundação da Educação infantil. Este reconhecido educador e psicopedagogo italiano nasceu na cidade de Fano, na Itália, em 1940. Mas seu heterônomo Frato nasceu em 1968, segundo ele “para expressar coisas com os desenhos que não eram fáceis de ser ditas em palavras”.


Tonucci é idealizador do conceito de “Cidade das Crianças”. A ideia de que a educação da cidade deva ser pensada “com”, “pelas” e “a partir” das crianças e não “para” e “sobre” as crianças altera toda forma de ver e viver a pedagogia da infância.


Incluir ativa e efetivamente as crianças, escutá-las, desenvolver propostas pedagógicas que as tomem como protagonistas ainda continua sendo desafio para a educação infantil.


Em seu livro “A Cidade das Crianças” (1996), Francesco Tonucci defende a participação das crianças na experiência coletiva de construir e viver a cidade, conta em sua experiência inaugural em Fano (1991) como tomou a participação infantil como pressuposto básico para realizar um projeto de Cidade das Crianças. Alerta como a cidade foi se tornando hostil para seus habitantes, como a vida foi sendo reduzida e para a importância de assumirmos a criança como parâmetro para pensar e projetar uma nova cidade.


Para Tonucci, as crianças estão sós, as cidades se esqueceram das crianças, mas elas são fortes e potentes, precisam ser escutadas. Suas ideias das crianças deliberando em assembleias, como autoras de propostas para a vida na comunidade, como educadoras ambientais, saindo às ruas conversam com os projetos do CEI Vereador Rubens Granja (Aba - Pedrinhas de Quintal) e como o Projeto “Nossa”, da Animarte (Aba - Pedras de Encantar).

Segundo Francesco Tonucci, a rua é um lugar de todos. Nossas cidades serão melhores se pensadas “com”, “pelas” e “para” as crianças. As crianças precisam sair de casa, andar nas ruas, viver plenamente a cidade para pensá-la e transformá-la.


Educadoras(es) e familiares precisam pensar na relação das crianças com a cidade. No que isso interfere na concepção que temos de vida pública e de vida privada? E a tal educação cidadã? Como crescer cidadã ou cidadão sem viver na cidade, sem ocupar a cidade, sem pensar e fazer propostas para a cidade desde a mais tenra infância?


Cabe lembrar que, em pleno contexto da pandemia de COVID 19, Tonucci nos alerta para a importância da brincadeira, para ouvirmos as crianças, para vivermos a casa como um laboratório de experiências. Tonucci é pedra fundamental para pensarmos a educação infantil. O sábio mestre que sempre ensinou que as crianças devem ocupar as ruas, ensina que agora é tempo de habitar a casa com experiências lúdicas, afetivas, de imaginação e de criação, de aprender com os mais idosos, de estreitar as relações entre adultos e crianças, de fazer da casa ninho de proteção para proteger a vida da cidade, para zelar e cuidar de todas as pessoas. Aproveitar a casa para romper a solidão e recuperar conversa com pai, mãe, filha, filho, irmão e irmã.


A obra de Tonucci é maravilhosa e extensa. Mas deixamos aqui duas sugestões de leitura: “A Cidade das Crianças” e “A Solidão das Crianças”. Apreciem com a banda que canta coisas de amor do CEI Vereador Rubens Granja (http://cei-vereadorrubensgranja.blogspot.com/) e com a arte e poesia do Projeto “Nossa” (nossa.art.br).

370 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page